• Baja TT Rota do Douro


    26 e 27 de Setembro de 2014
  • Baja TT Idanha-a-Nova


    12 e 13 de Setembro de 2014
  • Baja TT Oleiros / Proença / Mação


    27 e 28 de Junho de 2014
  • Baja Terras de Alcoutim


    31 de Maio e 1 de Junho de 2014
  • Vinhos Ervideira Rali TT


    25 e 26 de Abril de 2014

quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Ricardo Porém só pensa na vitória

Líder do campeonato à entrada da Baja Portalegre 500, Ricardo Porém sabe que a vitória é um dos poucos resultados que lhe garante o título de 2014. Por isso, o jovem piloto preparou a 28ª edição da clássica alentejana com todo o afinco e está prestes a estrear-se ao volante de um Mini All4 Racing preparado pela X-Raid.

  “Não procurámos este carro por causa da decisão do campeonato. Foi uma oportunidade que me proporcionaram e acabamos por juntar o útil ao agradável. Sei que tenho um carro mais competitivo para ganhar”, explicou Ricardo Porém.

 Já hoje, o líder do campeonato nacional fez os primeiros quilómetros ao volante do Mini. Num terreno perto de Alter do Chão, Porém cumpriu cerca de 100 quilómetros. Nesta sessão procurou conhecer o carro e adaptá-lo ao seu estilo de pilotagem. “Temos tudo afinado e o objectivo é a vitória. Ainda não temos a estratégia definida mas sabemos que é preciso andar depressa”, afirmou.

 A Baja Portalegre 500 começa amanhã com as verificações técnicas e administrativas. No sábado realiza-se o prólogo e para sábado estão reservados dois sectores selectivos para os automóveis e um para as motos.

Tudo a postos para a 28ª Edição da Baja Portalegre 500

A Baja Portalegre 500 pode ir para a estrada na próxima sexta-feira dia 30 de Outubro, mas a verdade é que está já tudo a postos na NERPOR para esta 28ª edição da prova do Automóvel Club de Portugal, uma jornada decisiva no que toca aos ceptros da Taça do Mundo FIA de Ralis de Todo-o-Terreno, bem como no que toca aos Campeonatos Nacionais de TT Autos e Motos.

 O dia de hoje foi reservado aos últimos preparativos em termos da instalação das áreas de assistência das 301 formações inscritas, bem como da montagem das máquinas de competição que irão para o terreno já nesta sexta-feira, 31 de Outubro, e serviu também para o público ter o primeiro contacto com os participantes daquela que é a mais mítica prova de Todo-o-Terreno nacional.

 Amanhã os pilotos têm pela frente um dia de Verificações, começando pelas Documentais e seguindo-se as Técnicas, ambas a desenrolarem-se ao longo de quase todo o dia de quinta-feira. Enquanto isso, os pilotos têm também a oportunidade de levarem a cabo o Reconhecimento dos 5,52 km do Prólogo. A fechar o dia, a publicação das Listas de Ordem de Partida para a prova.

 Quanto às previsões climatéricas, prevê-se um dia de sol com 25ºC de temperatura.

Título Nacional de Motos decide-se novamente em Portalegre

Tal como em 2013 a Baja de Portalegre volta a ser decisiva quanto ao título absoluto nas duas rodas e novamente serão Mário Patrão e António Maio a discutir o número 1. Cinco segundos apenas valeram a Patrão o título no passado ano, mas António Maio está de volta á sua prova favorita apostado em vingar a penalização e a derrota global da época anterior.Ambos os pilotos chegam ás pistas da Baja de Portalegre com possibilidade de alcançar o título, com Mário Patrão a chegar à prova com magra vantagem de apenas dois pontos antes do arranque da competição. Mas na jornada anterior Patrão foi vitima de uma queda violenta e fracturou a sua mão direita, pelo que poderá chegar ao Alentejo em inferioridade física depois de ter sido mesmo forçado a renunciar à sua participação no Rally de Merzouga, ficando igualmente em dúvida a sua presença na prova do ACP Motorsport devido ao prazo de seis semanas para a recuperação ser superior ao intervalo temporal entre as provas de Góis e Portalegre.Nas classes TT1 e TT3 os títulos estão decididos, com Sebastien Buhler e Luís Teixeira a enfrentarem de forma mais descansada a longa Baja de Portalegre.Terceiro lugar chega o ceptro dos Quads para Borrego

À semelhança das motos também o Campeonato Nacional de Quads está ainda por decidir. A prova do Automóvel Club de Portugal será por isso também animada na sempre espectacular categoria dos motos 4, onde Roberto Borrego e Ricardo Carvalho lutam pelo título nacional absoluto.No arranque para a Baja Portalegre 500 Ricardo Carvalho está em desvantagem pontual e em caso de vitória estará sempre dependente da posição final do adversário, ao qual basta terminar em terceiro para se sagrar novamente campeão nacional. Roberto Borrego é por isso o principal candidato ao título e o que maior favoritismo reúne na bolsa de apostas antes do arranque da competição, mas a Baja de Portalegre é sempre uma ‘caixinha de surpresas’ e tudo pode também acontecer nesta categoria que conta igualmente na sua lista de inscritos com um lote de pilotos que podem ‘ajudar’ qualquer um dos dois candidatos ao título a sagrar-se vencedor do campeonato nacional na tarde do próximo Sábado.Tudo decidido nos UTV/BuggyA única classe totalmente decidida no arranque da Baja de Portalegre é a reservada aos UTV e Buggy. Jorge Monteiro é o campeão nacional absoluto em 2014 depois de vencer em Góis, enquanto que Bruno Martins é já campeão nacional entre os Buggy.Mas nem por isso a prova deixará de ser animada pois são muitos os pilotos que marcam presença na prova do ACP Motorport. ~

 Naturalmente que Jorge Monteiro quer fechar o ano com mais um triunfo mas a concorrência não estará novamente disposta a deixar brilhar o piloto do Polaris, como é o caso de João Lopes que tem também que segurar a vantagem pontual para terminar o ano no segundo posto, sendo que na luta pela terceira posição do campeonato estão três pilotos separados por apenas seis pontos.A todos eles juntamos igualmente Bruno Martins que não só aspira a ser terceiro classificado no campeonato mas igualmente em alcançar a vitória absoluta aos comandos do seu Rage, o melhor dos buggy na classificação geral do campeonato.

 Tal como em 2013 a Baja de Portalegre volta a ser decisiva quanto ao título absoluto nas duas rodas e novamente serão Mário Patrão e António Maio a discutir o número 1. Cinco segundos apenas valeram a Patrão o título no passado ano, mas António Maio está de volta á sua prova favorita apostado em vingar a penalização e a derrota global da época anterior.

 Ambos os pilotos chegam ás pistas da Baja de Portalegre com possibilidade de alcançar o título, com Mário Patrão a chegar à prova com magra vantagem de apenas dois pontos antes do arranque da competição. Mas na jornada anterior Patrão foi vitima de uma queda violenta e fracturou a sua mão direita, pelo que poderá chegar ao Alentejo em inferioridade física depois de ter sido mesmo forçado a renunciar à sua participação no Rally de Merzouga, ficando igualmente em dúvida a sua presença na prova do ACP Motorsport devido ao prazo de seis semanas para a recuperação ser superior ao intervalo temporal entre as provas de Góis e Portalegre.

 Nas classes TT1 e TT3 os títulos estão decididos, com Sebastien Buhler e Luís Teixeira a enfrentarem de forma mais descansada a longa Baja de Portalegre.

  Terceiro lugar chega o ceptro dos Quads para Borrego

 À semelhança das motos também o Campeonato Nacional de Quads está ainda por decidir. A prova do Automóvel Club de Portugal será por isso também animada na sempre espectacular categoria dos motos 4, onde Roberto Borrego e Ricardo Carvalho lutam pelo título nacional absoluto.

 No arranque para a Baja Portalegre 500 Ricardo Carvalho está em desvantagem pontual e em caso de vitória estará sempre dependente da posição final do adversário, ao qual basta terminar em terceiro para se sagrar novamente campeão nacional. Roberto Borrego é por isso o principal candidato ao título e o que maior favoritismo reúne na bolsa de apostas antes do arranque da competição, mas a Baja de Portalegre é sempre uma ‘caixinha de surpresas’ e tudo pode também acontecer nesta categoria que conta igualmente na sua lista de inscritos com um lote de pilotos que podem ‘ajudar’ qualquer um dos dois candidatos ao título a sagrar-se vencedor do campeonato nacional na tarde do próximo Sábado.

  Tudo decidido nos UTV/Buggy

 A única classe totalmente decidida no arranque da Baja de Portalegre é a reservada aos UTV e Buggy. Jorge Monteiro é o campeão nacional absoluto em 2014 depois de vencer em Góis, enquanto que Bruno Martins é já campeão nacional entre os Buggy.

 Mas nem por isso a prova deixará de ser animada pois são muitos os pilotos que marcam presença na prova do ACP Motorport. Naturalmente que Jorge Monteiro quer fechar o ano com mais um triunfo mas a concorrência não estará novamente disposta a deixar brilhar o piloto do Polaris, como é o caso de João Lopes que tem também que segurar a vantagem pontual para terminar o ano no segundo posto, sendo que na luta pela terceira posição do campeonato estão três pilotos separados por apenas seis pontos.

 A todos eles juntamos igualmente Bruno Martins que não só aspira a ser terceiro classificado no campeonato mas igualmente em alcançar a vitória absoluta aos comandos do seu Rage, o melhor dos buggy na classificação geral do campeonato.

Portalegre, o palco de todas as decisões

A 28ª edição da Baja Portalegre 500 vai definir quem são os vencedores da Taça do Mundo de Todo-o-Terreno e os campeões nacionais da modalidade em 2014. Com várias classificações em aberto, são muitas as equipas presentes na última prova da temporada com ambições desportivas.

 Nas contas da Taça do Mundo, Vladimir Vasiliev (Mini All4 Racing) chega a Portalegre na frente da classificação com 216 pontos. O russo tem uma vantagem de 20 pontos sobre o segundo classificado, Nasser Al-Attiyah. Quando há 30 pontos para o vencedor da Baja Portalegre 500, o piloto do Qatar ainda aspira à vitória na taça, mas não terá a vida facilitada. Para ficar com o troféu, tem de vencer e Vasiliev não pode fazer melhor do que quinto. Se for esse o caso, os dois ficam empatados com 226 pontos, mas nessa situação Al-Attiyah tem vantagem porque somará três vitórias no ano, enquanto o seu rival tem apenas uma.

 Com uma lista de inscritos tão extensa e de tanta qualidade, haverá, certamente, muitas equipas que poderão baralhar as contas dos que participam na Baja Portalegre 500 com um troféu na mira. Isso acontece, também, entre aqueles que querem vencer o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. Ricardo Porém é, neste momento, o líder da competição com 91 pontos, enquanto Miguel Barbosa, que ocupa a segunda posição, tem 80. Contudo, e porque os regulamentos ditam que cada piloto deita fora as duas piores pontuações do ano, quem quiser ser campeão em 2014 terá de vencer a Baja Portalegre 500.

 Para o jovem leiriense que se estreia ao volante de um Mini All4 Racing, só a vitória lhe interessa. Mesmo assim, Barbosa terá de ficar em terceiro. Se for segundo, empatam pontualmente e o actual detentor do título fica com o campeonato porque tem mais vitórias na temporada. Se o piloto do Mitsubishi Racing Lancer triunfar, então soma 110 pontos e as contas ficam arrumadas a seu favor, seja qual for o resultado do até então líder do campeonato.

 Na categoria T2, aquela em que os carros são mais parecidos com os de série, Alexandre Franco participa na Baja Portalegre 500 para fazer a festa, pois já assegurou a conquista do título. No T8, a luta está em aberto, com o líder, Filipe Carvalho, e o segundo classificado, César Sequeira, separados por dez pontos.

 A 28ª Baja Portalegre 500 realiza-se entre os próximos dias 30 deste mês e 1 de Novembro. Na quinta-feira haverá lugar às verificações técnicas, enquanto na sexta se disputará o prólogo. No sábado, e para encerrar a festa, os concorrentes competem em dois sectores selectivos, um de manhã e outro durante a tarde.

Ricardo Porém testou MINI All4 Racing

O piloto Ricardo Porém esteve, esta tarde, no Alto Alentejo a realizar um teste de habituação ao Mini All4 Racing, com o qual vai disputar a edição de 2014 da Baja 500 Portalegre, prova que estará na estada já este fim-de-semana. Ricardo e Manuel Porém aproveitaram o dia de hoje para cumprir aproximadamente 100 quilómetros de testes num dia que serviu também para piloto e navegador se inteirarem igualmente dos detalhes relativos a estrutura da X-Raid, equipa responsável pela construção, desenvolvimento e manutenção do Mini All4 Racing.

 Muito satisfeito, no final deste intenso dia de trabalho, Ricardo Porém afirma ter ficado “maravilhado com o carro. Não consigo mesmo destacar um ponto ou outro. É tudo tão bom, travagem, aceleração, colocação em curva, facilidade de condução, qualidade de construção, etc... Isto é de outro Mundo. O teste correu bem e consegui rapidamente ambientar-me ao carro e ao funcionamento da equipa. Acho que agora temos reunidas todas as condições para assegurar um bom resultado e, assim, atingir os nossos objectivos. Quero aproveitar ao máximo a oportunidade que me foi dada de alinhar nesta prova aos comandos do carro mais competitivo do TT a nível Mundial.”

Equipe Mitsubishi Petrobras se mantém na frente no Atacama Rally

Carlos Sousa e Paulo Fiuza seguem liderando o rali, Guiga Spinelli e Youssef Haddad são os 3º; etapa em laço teve 339km cronometrados e trechos de dunas que fazem parte do roteiro do Dakar

 A etapa em laço, com largada e chegada em Copiapó, região do deserto do Atacama, foi "interessante e importante", conta Carlos Sousa. Ao lado do navegador Paulo Fiuza, o piloto português venceu novamente a especial. "Foi essencial para o desenvolvimento do carro. Fizemos um trecho mítico, parte do Rally Dakar."

 A etapa foi de navegação complicada e bastante visual. "Os últimos 30 quilômetros foram mais difíceis, pelas dunas", diz Fiuza. "Viemos treinar e também para que eu e Carlos possamos nos entrosar. Estamos andando num ritmo vivo, de corrida, o que nos ajuda a perceber nossos limites e também nossa capacidade." Com o tempo de 4h03min32seg, eles seguem na liderança - e têm 1h36min de vantagem em relação ao segundo colocado na geral.

 Apesar da dificuldade em transpassar dunas, Carlos explica as técnicas. "A experiência é importante. Você consegue ler as dunas e perceber se a areia está mais dura ou mais macia. E quando está frio, as dunas são mais duras. Por isso há diferença no horário que você passa", ensina.

 Já a dupla brasileira Guiga Spinelli/Youssef Haddad, mesmo enfrentando uma batida em uma pedra, completou a especial e está em terceiro na geral. "Depois de tentar por alguns quilômetros passar uma moto, o piloto freou subitamente. Tive que frear também, para não bater, e assim saí da estrada e peguei uma pedra, o que quebrou o pivô da suspensão. Infelizmente não tínhamos no carro a ferramenta necessária para a troca. Isso nos ajudará a rever a organização e a estratégia para nosso próximo desafio", fala Guiga. "Eu ficaria bem bravo com esse problema no Dakar, mas como o nosso objetivo aqui é treinar, até os imprevistos são positivos. Para o conceito do teste que viemos fazer aqui, não podia ser melhor."

 Mesmo enfrentando alguns erros na planilha, o navegador Youssef faz um balanço positivo do dia. "Viemos num ritmo muito bom. Poderíamos ter feito o conserto bem mais rápido, mas ainda assim conseguimos retomar a especial e andar forte até o final. O ASX Racing veio bem e estamos satisfeitos com os resultados das modificações."

 Os dois ASX Racing da Equipe estão aos cuidados dos engenheiros e mecânicos, que somente voltarão a ver os veículos na noite de sexta-feira, novamente em Copiapó - amanhã, quinta-feira, é a etapa maratona, com chegada a Cifuncho. "Todos os dias aprendemos coisas novas e o carro está num nível muito bom. Agora, começaremos a trabalhar nos ajustes finos em busca de ainda mais performance", adianta Sousa.

  Equipe Mitsubishi Petrobras - Resultados 2ª etapa

#300 - ASX Racing - Carlos Sousa e Paulo Fiuza - 1º lugar
#308 - Antonio Hasbun/Bryan Garvey - 2º lugar
#305 - Rodrigo Moreno/Jorge Araya - 3º lugar
#301 - ASX Racing - Guiga Spinelli e Youssef Haddad - 6º lugar

  Equipe Mitsubishi Petrobras - Resultado Geral

#300 - ASX Racing - Carlos Sousa e Paulo Fiuza - 1º lugar
#308 - Antonio Hasbun/Bryan Garvey - 2º lugar
#301 - ASX Racing - Guiga Spinelli e Youssef Haddad - 3º lugar

Taça do Mundo FIA decide-se em Portugal

• Vladimir Vasilyev to start into the final round as World Cup leader 

• Three MINI ALL4 Racing vehicles to contest the Baja Portalegre 

Nine FIA Cross Country Rally World Cup rounds have been contested and the battle for the titles has been taken down to the season finale, Portugal’s Baja Portalegre. With 216 points on their tally, Russian pairing Vladimir Vasilyev / Konstantin Zhiltsov and their MINI ALL4 racing travel to Portugal as World Cup leaders. 20 points behind Qatar’s Nasser Al-Attiyah follows in second position. 30 points will be awarded in the Baja Portalegre (31st October to 01st November, 2014) and so, the spectators may look forward to a close and hard-fought season finale. In addition, the two Portuguese pairings Filipe Campos / Joana Sotto-Mayor and Ricardo Porém / Manuel Porém also will contest the event with a MINI ALL4 Racing.

 With 20 points, Vasilyev holds a rather comfortable lead in the championship. For the Russian, finishing fourth in the Baja Portalegre will be enough for securing the title – no matter what result Al-Attiyah will achieve. In addition to being the World Cup season finale, the Baja Portalegre also represents the final round of the Portuguese Off Road Championship. There, Ricardo Porém is the championship leader, with an 11-point lead over his toughest rival. And the pairing Campos / Sotto-Mayor already can look back on successful appearances in a MINI ALL4 Racing three years ago.

 The Baja Portalegre will be started at Friday with a 5.5-kilometre prologue. Saturday comprises two special stages with distances of 200.41 and 212.61 kilometres. Both the prologue and the special stages will be contested around the city of Portalegre, not far from the Spanish border.

  “Now it counts,” says Vasilyev. “Every mistake can be the one which decides the World Cup. While Nasser Al-Attiyah has to push to try to close the gap to us, we can choose a more conservative and less risky approach. Nonetheless, we have to stay focused.”

“With 20 points, Vladimir’s lead is rather comfortable,” says X-raid Team Manager Sven Quandt. “Therefore, he can avoid taking any unnecessary risks. We know his competitiveness and finishing fourth should be feasible, for him. On the other hand, the impact of minor mistakes is far bigger in such a short Baja than in the long desert events. Therefore, he must be careful and fully focused throughout the event.”

Equipe Mitsubishi Petrobras, com Carlos Sousa e Paulo Fiuza, vence 1ª especial do Atacama Rally

Com largada em La Serena e chegada em Copiapó, na região do deserto, duplas da Equipe fazem dobradinha; Spinelli/Haddad completam em 2º

Copiapó, 28 de outubro de 2014 - A Equipe Mitsubishi Petrobras começou muito bem o Atacama Rally, etapa final do campeonato sul-americano de rali cross-country. Já na primeira especial, com 363 quilômetros, os portugueses Carlos Sousa e Paulo Fiuza abriram vantagem e venceram, com o tempo de 4h48min55seg.

  "Foi uma etapa longa, com muita pedra, de alto nível. Fomos rápido e apenas seguramos um pouco o ritmo por causa do piso, para evitar furos de pneu. Na parte final, voltamos a andar forte", explica o navegador. "Amanhã já vamos ter alguns quilômetros de dunas e será nossa primeira experiência com o carro nessas condições."

 Foi a estreia de Sousa pela equipe e também ao lado do navegador Fiuza. "Já andei com muitos navegadores e posso dizer que gostei de hoje. Isso nos dá confiança para as próximas etapas", garante. "Há muito tempo que não competia, desde o Dakar. Depois dos testes que fizemos creio que o carro está muito bom. Amanhã testaremos como o ASX Racing se comportará em altas temperaturas."

 Os brasileiros Guiga Spinelli e Youssef Haddad, que marcaram o tempo de 4h54min11seg, estão em segundo na geral, apenas 5min16seg atrás dos primeiros. "O ASX Racing continua evoluindo. As mudanças pós Rally dos Sertões foram boas e terminamos a especial de hoje com mais uma lista de modificações para amanhã, quando vamos encarar dunas. Então terei uma nova experiência com o carro", adianta Guiga. "O resultado foi ótimo para a Equipe."

 A dupla teve apenas um furo de pneu, causado por uma pedra. "Estávamos num ritmo muito bom, acompanhando o Carlos e o Paulo, mas tivemos a infelicidade de furar um pneu na primeira metade da especial", conta o navegador. "Sem dúvida nenhuma foi uma prova de nível do Dakar. Melhor treino, impossível."

 Amanhã as duplas e os ASX Racing encaram uma etapa em laço, com largada e chegada em Copiapó, que somará 339 quilômetros cronometrados. "Será mais um dia longo e cansativo. No deserto, o rali exige muito das duplas e também dos veículos", adianta Youssef. "Vamos continuar trabalhando nos ajustes necessários e nos pontos de evolução." 

Apesar do bom resultado, Sousa reforça o objetivo do rali. "O importante é fazermos os quilômetros e sairmos dos carros com o máximo de informações. O resultado é secundário, nosso foco é o Dakar", garante. A Equipe Mitsubishi Petrobras segue testando setups e estratégias para o próximo grande desafio das duplas, o Rally Dakar, que começa dia 4 de janeiro de 2015.

 A Equipe Mitsubishi Petrobras tem o patrocínio de Mitsubishi Motors, Petrobras, Axalta e Protune.