• Baja TT Rota do Douro


    26 e 27 de Setembro de 2014
  • Baja TT Idanha-a-Nova


    12 e 13 de Setembro de 2014
  • Baja TT Oleiros / Proença / Mação


    27 e 28 de Junho de 2014
  • Baja Terras de Alcoutim


    31 de Maio e 1 de Junho de 2014
  • Vinhos Ervideira Rali TT


    25 e 26 de Abril de 2014

terça-feira, 31 de março de 2015

Paulo Gonçalves persegue nova vitória no Abu Dhabi Desert Challenge 2015

Piloto português ocupa o terceiro lugar da classificação geral provisória a 5m33s do segundo lugar do espanhol Marc Coma 

Paulo Gonçalves cumpriu hoje a segunda de seis etapas que compõem a edição de 2015 do Abu Dhabi Desert Challenge, primeira jornada do Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno, com a obtenção de forma estratégica do 12.º melhor tempo da tirada, exatamente o mesmo registado pelo espanhol Marc Coma, tido uma vez mais como principal adversário do piloto português na luta pelo título mundial.

“Foi um dia muito especial, muito bom, que começou ao estilo de Motocross. Rodámos juntos quase todo o dia, era importante terminar na frente na parte final, de modo a escolher a ordem de partida entre os pilotos da frente para amanhã. No final, todos abrandaram o ritmo, por isso vamos ver qual será a estratégia para amanhã. A moto está a comportar-se de forma perfeita perante uma prova tão difícil como é o Abu Dhabi Desert Challenge com um monte de areia e altas temperaturas. Estou muito satisfeito com o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Team HRC”, comentou Paulo “Speedy” Gonçalves.

 O piloto português, Vice-Campeão do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno em 2014 e 2.º classificado no Dakar 2015, ocupa agora o terceiro lugar da geral, a 9min03s do líder britânico Sam Sunderland e a 5min33s de Marc Coma.

 Depois da etapa de hoje, Paulo Gonçalves partirá do 12.º posto para a terceira etapa, na perseguição a Coma e à vitória final. Pela frente está mais uma “especial” cronometrada de 272 quilómetros pelas dunas de Abu Dhabi.

RUBEN FARIA QUINTO NO DIA MAIS LONGO DO ADDC

Ruben Faria conseguiu hoje a quinta posição na segunda etapa do Abu Dhabi Desert Challenge que decorre no Emirato Árabe até ao próximo dia 2. Com um total de 511 quilómetros dos quais 279 eram cronometrados a jornada ficou marcada pela partida em linha para os pilotos das motos, que receberam ordem de arranque em vagas de dezena e meia de motos. Depois da partida foi uma corrida ao longo das duas até ao final da especial, com Ruben Faria a fechar o dia no quinto posto, ocupando agora idêntica posição em termos de classificação geral.

‘Foi um dia espectacular e muito rápido. Depois da partida todos atacamos as dunas em ritmo muito forte mas não quisemos correr riscos exagerados. Estive sempre por perto do Marc e com isso os mais rápidos acabaram por descolar na frente do pelotão. Ao mesmo tempo tinhamos que pensar em estar numa boa posição no dia de amanhã e por isso a opção foi mesmo segurar o andamento numa opção estratégica. O objectivo foi cumprido pois quisemos estar longe da confusão inicial de uma partida deste tipo e salvaguardar a posição de arranque para a especial de amanhã.’

 Ruben Faria perdeu o quarto posto na geral para o veloz austríaco Matthias Walkner, mas está a apenas 30 segundos do seu colega de equipa e a cerca de 4 minutos do terceiro posto da geral. Amanhã Ruben Faria cumpre a terceira etapa deste ADDC 2015 aos comandos da sua KTM Rally 450, uma especial com 272 quilómetros nas dunas daquele que é o maior Emirato dos Emiratos Árabes Unidos.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Elisabete Jacinto cumpriu complexa etapa maratona

A equipa com o número 402, formada por Elisabete Jacinto e France Clèves, completou ao final da tarde de hoje, a primeira jornada maratona do 25º Rallye Aïcha des Gazelles. Depois de passar a noite no deserto, a dupla luso-belga cumpriu com sucesso a quarta etapa deste grande rali de navegação tendo assinalado todos os 13 pontos de passagem obrigatória com consistência e regularidade.

 Esta etapa tinha como distância ideal um total de 335 quilómetros, realizados entre as cidades marroquinas de Mech Irdane e Oulad Drîss, distribuídos por dois dias, durante os quais as participantes permaneceram em completa autonomia sem usufruir da habitual ajuda da equipa de mecânicos. Esta jornada maratona ficou ainda marcada pela extrema dureza das travessias de montanha, onde, mais uma vez, Elisabete Jacinto e France Clèves colocaram à prova a fiabilidade da sua Volkswagen Amarok, e pela escassez de pontos de referência de navegação nas passagens de areia.

 Numa altura em que faltam apenas três dias para o final desta prova, a piloto Elisabete Jacinto continua a demonstrar uma grande capacidade de concentração e destreza permanecendo, assim, numa posição cimeira da tabela classificativa, que de resto foi alcançada logo no primeiro dia desta competição dedicada em exclusivo às mulheres.

 A classificação referente a esta etapa será disponibilizada amanhã, uma vez que as equipas deste rali poderão terminar cada uma das especiais até às 12 horas do dia seguinte. Recorde-se que após a 3ª etapa Elisabete Jacinto ocupava o quarto posto da classificação geral da Categoria Expert.

 Amanhã inicia-se a quinta etapa do Rallye Aïcha des Gazelles que será novamente uma jornada maratona. Os próximos dois dias vão ser, possivelmente, os mais desafiantes de toda esta prova de navegação. Para além das participantes terem que atravessar as complexas dunas do Erg Chegaga, estão guardados para esta etapa os percursos mais duros de toda a competição. A poucos dias do final deste grande evento as classificações começam a ficar definidas. Mas, até ao fim muito pode acontecer.

Barreda Reemerge com vitória na segunda etapa

Shaking off yesterday’s troubles which ruled out any chance of winning the overall rally, Joan Barreda today re-established himself with a second-stage triumph in the Abu Dhabi Desert Challenge. Paulo Gonçalves remains in third and Brabec finishes among the top riders.

 The longest stage in the Abu Dhabi Desert Challenge got underway with a motocross-style start and concluded with a rampant Joan Barreda clocking the best score in the timed special. It was certainly no easy day out in the Al Garbia desert for the Spaniard aboard the Honda CRF450 RALLY. With no reference points ahead to guide him, Barreda showed some classy navigational skills that saw him romp home 11 minutes ahead of the stage’s runner-up.

 Likewise, Paulo Gonçalves did a fine job of keeping Marc Coma in check, trailing him in the overall by 5’33.

 Ricky Brabec, Team HRC’s rookie, crossed the line in sixth and also occupies sixth on the overall leaderboard.

Joan Barreda: I’m satisfied. Today was a great day after the bad one yesterday. I rode a good pace, opening the way all day alone. I had a problem yesterday but we have figured out what it was and are working to get it sorted out; it’s the same specification that we had in the Dakar. Some things are being worked on that will be at our disposal from the summer onwards. I really have great faith in the work that Honda is doing on the bike.

domingo, 29 de março de 2015

RUBEN FARIA EM QUARTO NO PRIMEIRO DIA DE ADDC

Depois de uma cerimónia inicial marcada por um prólogo realizado no asfalto do circuito Yas Marina no Abu Dhabi, Ruben Faria iniciou hoje juntamente com todos os seus colegas de equipa e adversários a fase séria do Abu Dhabi Desert Challenge. Neste primeiro dia os pilotos enfrentaram hoje a primeira etapa nas areias do Emirato, com um total de 404 quilómetros dos quais pouco mais de 262 foram cronometrados.

 Um primeiro dia de contacto com as areias que marcam esta primeira prova do campeonato do mundo e onde Ruben Faria foi o quarto classificado a pouco mais de 11 minutos do vencedor, o campeão do mundo e seu colega de equipa, Marc Coma. Um arranque seguro, sem exageros para se colocar numa posição que lhe permita atacar as próximas etapas no grupo da frente.

‘Hoje foi o regresso ao deserto e ás maratonas do campeonato do mundo. Depois do dia de ontem em asfalto, onde ninguém arriscou nada, esta primeira etapa a sério serviu de alguma forma para ganhar de novo ritmo e confiança com a moto. Tenho treinado com ela em Portugal mas após dois meses sem quilometragem extensa é sempre necessária essa habituação. Por isso foi um dia de alguma forma tranquilo, onde a navegação desempenhou um papel importante. Ser quarto neste arranque é positivo e agora quero pensar nas restantes etapas para poder lutar por um lugar de pódio, o meu principal objectivo nesta primeira prova do campeonato.’

Ruben Faria cumpriu assim o primeiro dia de uma prova onde esteve ausente nos últimos anos, mas onde já venceu uma especial, chegando ao ‘bivouac’ sem grandes dificuldades e já a pensar na segunda etapa da prova, a mais longa do evento deste ano com um total de 511 quilómetros dos quais 279 serão cronometrados.

Elisabete Jacinto continua a lutar pelo pódio

Elisabete Jacinto, navegada pela belga France Clèves, ocupa o quarto posto da classificação geral da categoria Expert do Rallye Aïcha des Gazelles depois de concluir a terceira etapa da competição em nono lugar. A dupla com o número 402, aos comandos de uma carrinha Amarock inscrita pela equipa oficial da Volkswagen Vehicules Utilitaires, mantém-se na disputa pelo pódio registando uma penalização de apenas 500 metros em relação à equipa 420, composta pelas francesas Christine Hunka e Delphine Bichoffe, que ocupa o terceiro lugar da tabela classificativa.

 A terceira etapa desta prova de navegação, cujo percurso teve início e chegada em Nejjakh, contou com a travessia das dunas do Erg Chebbi. Por ser uma jornada mais complexa Elisabete Jacinto e France Clèves optaram por assinalar os setes pontos obrigatórios cumprindo o caminho mais rápido. Após a terceira especial a liderança da categoria Expert é assumida pela equipa 407, formada pelas francesas Carole Montillet e Valérie Dot.

 No final da jornada, Elisabete Jacinto mostrou-se satisfeita face às opções assumidas: “Hoje foi um dia especial. Atravessámos o Erg Chebbi, de Norte a Sul, sem pegar nas pás. Não nos enterrámos uma única vez. Acabámos cedo e conseguimos descansar o que é muito importante. Este é um rali muito estratégico e a determinada altura o cansaço começa a ser nosso inimigo. É nessas ocasiões que ficamos mais frágeis e os erros começam a ser maiores. Por isso optámos por terminar cedo para conseguirmos repor as energias. Os dois últimos CPs foram feitos com alguma tranquilidade e às cinco horas chegámos ao acampamento. De resto até agora está tudo a correr bem. Eu e a France fazemos uma boa equipa e o carro está impecável”, contou a portuguesa na chegada ao acampamento.

 Hoje as participantes do Rallye Aïcha des Gazelles arrancaram bem cedo para a primeira de duas etapas maratona que compõe este rali. Estas especiais destacam-se por serem mais longas e têm a duração de dois dias em completa autonomia. Isto significa que ao final do dia as participantes terão que pernoitar no deserto e não terão à sua disposição a habitual assistência mecânica. Nesta primeira maratona as participantes terão que cumprir um total de 335 quilómetros de distância ideal e assinalar 13 pontos de passagem.

Paulo Gonçalves começa com 3.º lugar no Abu Dhabi Desert Challenge

Piloto português perdeu algum tempo após uma paragem no final da primeira etapa para prestar auxílio ao espanhol Joan Barreda 

Paulo Gonçalves iniciou hoje em Abu Dhabi a primeira prova do Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno, conquistando neste arranque do Abu Dhabi Desert Challenge 2015 o terceiro melhor tempo cronometrado.

 O piloto de Esposende, oficial Honda pela HRC, rodou na frente da etapa até aos últimos quilómetros do dia, altura em que parou para apoiar um dos seus colegas de equipa, o espanhol Joan Barreda, com problemas elétricos na sua Honda. Apesar do tempo perdido, Paulo Gonçalves conseguiu ainda ser o terceiro mais rápido do dia ao longo dos 260 quilómetros cronometrados, gastando mais 5min33s que o vencedor da tirada, o espanhol Marc Coma.

“Hoje disputámos o primeiro dia do Abu Dhabi Desert Challenge, um dia bastante difícil à semelhança do que era esperado, com muita areia, muitas dunas e bastante calor. Andei bastante bem mas perto do final tinha o meu companheiro de equipa parado com um problema elétrico e parei para ajudá-lo, perdi algum tempo e atrasei-me mas de todas as maneiras consegui ainda ser terceiro classificado da geral”, referiu Paulo Gonçalves no final da primeira etapa em Abu Dhabi.

 Instalado no terceiro lugar da geral, Paulo Gonçalves parte para o segundo dia decidido a fazer melhor e recuperar o tempo perdido nesta fase inicial da prova. “Amanhã temos uma partida ao estilo de Motocross, a corrida está ainda no início, faltam quatro dias, mais de mil quilómetros, vamos continuar na luta, temos ainda muita areia e muita duna pela frente”, acrescentou.

 A segunda etapa do Abu Dhabi Desert Challenge 2015 terá lugar no deserto do Liwa, oferecendo aos concorrentes mais de 500 quilómetros naquela que será a etapa mais longa da prova, dos quais 279 serão contra o relógio.

Alexandre Franco quarto na Baja TT Rota do Douro

A Scuderia Goldentrans/DURA não poderia esperar melhor resultado na estreia com o BMW Série 1 Proto no Campeonato Nacional de Todo o Terreno, com Alexandre e Rui Franco a conquistarem um excelente quarto posto na Baja TT Rota do Douro.

 A dupla alenquerense fez a sua estreia com uma viatura da Categoria T1 e a expectativa era grande no seio da Scuderia Goldentrans/DURA, com esta aposta no BMW Série 1 Proto a apresentar-se como um novo desafio para a equipa.

 Depois das duas passagens pelo Prólogo de abertura da prova, Alexandre e Rui Franco colocavam o BMW Série 1 Proto no oitavo posto da geral, com esses primeiros quilómetros da prova a servirem para dupla perceber um pouco mais sobre o carro preparado pela JR Sport. No sábado esperavam os concorrentes uma dupla passagem por um sector selectivo de cerca de cento e quarenta quilómetros, que incluía a passagem por algumas das especiais do próximo Rally de Portugal.

 Após o primeiro sector selectivo, Alexandre e Rui Franco já haviam ascendido ao sexto posto, com um furo a impedir então um começo sem problemas. Já no segundo sector selectivo, um problema de travões e de rendimento no motor da BMW da dupla da Scuderia Goldentrans/DURA quase comprometeram o resultado final. Valeu então a persistência da dupla de pilotos para uma reparação de fortuna a cerca de cem quilómetros do final da prova para que fosse possível a conquista de um excelente quarto posto final.

 No final da prova, o piloto que conta com os apoios da Goldentrans, DURA Automotive Systems, ENI e PR Car contava que “esta foi uma prova bastante produtiva para nós. Tinhamos como objectivo rodar o máximo possível em ambiente de corrida, uma vez que tinhamos rodado muito pouco com o carro. Fomos ganhando confiança e a condução foi ficando cada vez mais fácil, mas na verdade o carro é completamente diferente da Nissan T2 a que estavámos habituados. Se por um lado o grau de dificuldade aumenta, porque agora tudo se passa mais depressa, por outro lado permite passar pelo mau piso sem ‘aliviar’ o que é simplesmente impressionante!”.

 Alexandre Franco contava ainda que “no primeiro sector fomos ganhando confiança e no segundo já vinhamos com outro ritmo, mas antes de CP1 (40 kms) uma fuga de óleo de travões levou-nos a parar algum tempo em pleno sector para remediar da forma possível o problema que sentimos no nosso BMW Série 1 Proto. Depois tivemos ainda problemas de rendimento no motor do nosso carro, mas conseguimos assegurar um excelente quarto posto final, terminando a prova que era o nosso principal objectivo para esta corrida. Agora vamos continuar a trabalhar para que a nossa habituação se faça da forma mais rápida possível e que possamos poder lutar por um lugar no pódio”.

 A próxima prova da Scuderia Goldentrans/DURA terá lugar nos dias 17, 18 e 19 de Abril e será a Baja de Almanzora, segunda prova da Taça Ibérica de Todo o Terreno e na qual a dupla regressará com a Nissan Navara T2.